Você está aqui

Diálogo sobre exposições de arte contemporânea

Expor é despir, apresentar a obra ao público para a construção de relações e significações, considerando como ponto fundamental o conteúdo, a fim de estabelecer diálogos, possibilitando que diversas experiências e interpretações aconteçam.

As exposições ocupam um lugar importante no sistema de arte. Espaço de criação de significados, questionamentos e reinvenção de conceitos no campo artístico e nos seus desdobramentos. É através das exposições que a arte contemporânea se mostra mais acessível à maior parte das pessoas.

 

Expor é despir, apresentar a obra ao público para a construção de relações e significações, considerando como ponto fundamental o conteúdo, a fim de estabelecer diálogos, possibilitando que diversas experiências e interpretações aconteçam.

 

Neste cenário, o papel do curador merece relevância, pois é ele que irá tecer o fio condutor conceitual para organizar a mostra nos seus mais diversos aspectos. Um trabalho curatorial requer envolvimento, pesquisa, disposição para trabalhar de modo colaborativo estabelecendo parcerias. Ter domínio das mídias digitais e conhecimento técnico e tecnológico, visando colocar em foco as singularidades de cada obra e da exposição como um todo.

 

Exposição DANÇAS DE LUZ.

Artista: Flávia Tronca

Curadoria: Scott MacLeay

Casa da Cultura de Caxias do Sul | RS, 2016.